terça-feira, 15 de dezembro de 2015

COMEMORE COM MODERAÇÃO!

O fim de ano está chegando e trazendo a reboque várias confraternizações, comemorações e momentos especiais. Essa é a hora de reunir os familiares, os colegas de trabalho, os amigos de longa data e celebrar mais um ano que chega ao fim. É a hora de rever pessoas especiais, de estar perto de quem gostamos, mas que, devido à correria do dia a dia, nem sempre é possível!
Sem sombra de dúvidas, dezembro é a época mais festiva do ano. Mas como tudo que é bom, ele também tem seus probleminhas. Um deles é nos tirar da dieta. Afinal, quem é capaz de resistir a tantas guloseimas? E o outro? O outro problema é fazer com que gastemos além da conta.
Com tantos almoços, jantares e amigos secretos, fica difícil não extrapolar o orçamento. É cota para comida, cota para bebida, comprar presente daqui, comprar presente dali e, quando se menos espera, seu cartão de crédito já extrapolou todos os limites. A grande questão é: como fazer para que isso não aconteça? Como aproveitar o fim do ano sem gastar além do que deve?
Antes de qualquer coisa, é importante ter em mente que o mais importante é estar na companhia de pessoas de quem se gosta e vivenciar momentos especiais. A comida, a bebida e os presentes são secundários. Muita gente confunde comemoração com ostentação. Assim, acabam agendando os encontros para os locais mais caros da cidade e gastam uma pequena fortuna em presentes. Se você quer se reunir com seus amigos, mas não quer gastar muito para isso, existem algumas medidas que podem ser adotadas.
A primeira delas é conversar com os organizadores das confraternizações das quais pretende participar e sugerir que escolham ambientes mais acessíveis. Assim, você e todos aqueles que estão apertados financeiramente, poderão participar sem peso na consciência. Tenho certeza que irão entender e acatar sua sugestão.
Uma segunda medida a se tomar é tentar evitar os amigos secretos, afinal, o principal presente que todos podem receber é a sua presença. A troca de presentes é secundária. Caso não queiram acatar sua sugestão, sugira uma troca de livros usados. Assim, todo mundo recebe um belo presente sem precisar gastar nada.
Por último, tente selecionar as confraternizações que realmente são importantes para você. Sei que  a tentação de estar em todos os eventos e não fazer desfeita com ninguém é grande, mas, convenhamos, ninguém precisa participar de oito, dez eventos. É encontro do pessoal da empresa, dos amigos da época de colégio, do pessoal da faculdade, do futebol no final de semana, da família, dos melhores amigos... é confraternização que não acaba mais.
Desse jeito, não tem dieta e orçamento que aguentem. Se você tiver uma namorada, namorado ou for casado, é provável que esse número dobre. Afinal, se não bastasse as suas confraternizações, você terá que ir para as da pessoa amada também.
A melhor época do ano está apenas começando. Não deixe que a falta de dinheiro te impeça de se divertir e aproveitar esses momentos tão importantes e também não permita que tais momentos te criem complicações financeiras que irão estragar as suas comemorações. Equilíbrio e parcimônia são sempre bem-vindos.
Boas festas!

Samuel Magalhães é Consultor Financeiro, Palestrante, fundador do Portal www.invistafacil.com e do instagram @oinvestidor.

COMO ANDA SUA SAÚDE FINANCEIRA?

Qual foi a última vez que você fez um check-up financeiro? Para muitos, a resposta é: NUNCA! Não por acaso, temos uma parcela tão expressiva da nossa população sofrendo de doenças financeiras.
Talvez você esteja se perguntando: dinheiro tem a ver com saúde? Tem... e muito! Pessoas que possuem uma vida financeira equilibrada, com poucas dívidas e que conseguem honrar seus compromissos em dia possuem uma propensão muito menor a sofrer dos inúmeros problemas ocasionados pelo desequilíbrio financeiro.
Stress, fadiga, dificuldade de se concentrar no trabalho, baixa produtividade... esses e muitos outros problemas são consequência de uma vida financeira desregrada e repleta de dores de cabeça.
Em um mundo que tudo e todos giram em torno do dinheiro, não obter êxito na seara financeira pode causar um problema tão ou mais grave do que os já citados: a baixa auto estima. Numa sociedade que nos avalia pelo ter e não pelo ser, ter menos do que se gostaria pode trazer graves prejuízos para a auto estima das pessoas. E alguém com a confiança abalada, certamente obtém resultados muito aquém daqueles do seu potencial. Não é isso que você que para sua vida, é?
De vez em quando, as “doenças” são inevitáveis, mas a maior parte do tempo, estar saudável financeiramente depende somente de nós e mais ninguém. E, acredite você ou não, estar com a saúde em dia é mais fácil do que se pode imaginar.
Antes de sair por aí tomando os remédios que você acha que precisa, o primeiro passo é fazer um diagnóstico – igual o médico faz no paciente – para descobrir qual seu estado atual e, caso você esteja doente, quais as causas dessa doença. Pronto! Agora, você já tem uma melhor noção dos seus problemas e sabe a melhor forma de solucioná-los.
Feito isso, você precisa entrar na primeira etapa do “tratamento”. Nela, você irá organizar sua situação financeira e elaborar seu planejamento. Independente do tamanho do seu problema, sempre há uma solução. Descobri-la passa, necessariamente, pelas duas etapas listadas.
Depois que você já se organizou e planejou o que irá fazer para melhorar a sua saúde financeira, agora é hora de ir para a etapa mais importante: executar.
Você já descobriu a doença – diagnóstico - , descobriu o remédio – organização – e comprou o remédio – planejamento - , agora é a hora de efetivamente tomar a medicação – execução. Caso você não cumpra essa última etapa, todas as outras terão sido em vão.
Sem sombra de dúvidas, a execução é o mais difícil! É nela que você irá descobrir até que ponto está disposto a mudar seus hábitos. O remédio é amargo. Tomá-lo disciplinadamente até ficar bom não é fácil. A tentação para deixá-lo de lado ou diminuir a dosagem é grande.
Até que ponto você está disposto a tomar esse remédio? Até que ponto você está disposto a cuidar da sua saúde financeira? Até que ponto você está disposto a fazer o que for preciso para construir um 2016 com menos problemas e mais soluções?
Sua saúde financeira dependerá das respostas que você der as perguntas que a vida te impõe. Só não esqueça que, sem saúde, todo o resto se torna secundário. Vai cuidar da sua saúde financeira ou não?

Samuel Magalhães é Consultor Financeiro, Palestrante, fundador do Portal www.invistafacil.com e do instagram @oinvestidor.

COMECE COM O QUE TEM!

Nessas últimas semanas, tenho recebido muitas perguntas dos leitores sobre investimentos. Uma parte significativa delas é a respeito da “quantia ideal para investir”. Qual o mínimo que preciso ter para iniciar no mundo dos investimentos? Tenho pouco dinheiro, vale a pena investir mesmo assim?
O que você, caro leitor, precisa entender é: não existe quantia ideal, muito menos mínimo para investir. Essa resposta vai variar de pessoa para pessoa, de perfil para perfil, de investidor para investidor. O que posso te dizer é: o momento perfeito nunca existirá e, se você ficar esperando que ele chegue para começar a investir, é provável que você passe sua vida inteira sem investir um real sequer.
Como saber então se você está apto a começar a investir? Se você está com todas as suas contas em dia e já possui uma reserva financeira para imprevistos – que deveria ser pelo menos três meses do seu atual custo de vida – você está apto a investir.
Logicamente, estou me referindo à questão meramente monetária aqui. Para se tornar um investidor de sucesso, você terá que adquirir algum conhecimento na área e para isso precisará dedicar um pouquinho do seu tempo para aprender  a investir corretamente seus recursos, no entanto, também não espere dominar o assunto para iniciar...isso pode levar tempo demais.
O que você, eu e quem mais tiver interesse em investir precisamos fazer para nos tornarmos investidores é começarmos com o que temos. Se você tem pouco dinheiro, comece com pouco. Se você não manja muito do assunto, estude mais e comece a colocar em prática o que aprendeu. Quanto mais cedo iniciarmos nossas aplicações, mais tempo teremos os juros trabalhando a nosso favor e engordando nosso bolo.
Independentemente da sua idade, dos seus objetivos, do seu nível de conhecimento acerca do mercado financeiro e até mesmo de quanto você tem disponível para iniciar seus investimentos, não adie essa decisão! Pelo menos, não adie por muito tempo.
Há um velho ditado que diz que o feito é melhor do que o perfeito. Em outras palavras, é melhor iniciar a investir agora, enquanto tem pouco dinheiro e conhecimento mínimo do que esperar um amanhã com muitos recursos e conhecimentos que você nem mesmo sabe se chegará! O dia de começar é hoje e as condições ideais são exatamente as que você possui neste momento.
Nós, brasileiros, adoramos procrastinar. Sempre damos um jeitinho de deixar para amanhã aquilo que deveríamos fazer hoje. Apesar de não parecer, essa é uma característica que impacta nossas vidas de uma maneira muito negativa nos mais diversos aspectos e no âmbito financeiro não é diferente.
Se você estava na dúvida sobre a hora certa para iniciar, essa dúvida não existe mais. A hora é agora! Lembre-se: o pouco de hoje, será o muito de amanhã, basta para isso que você invista seu capital corretamente e, principalmente, tenha a paciência necessária para permitir que o tempo faça o seu trabalho e efetue o poder da multiplicação sobre o que você possui hoje, através dos juros compostos. E da próxima vez que surgir a dúvida sobre as condições necessárias, não esqueça: Comece com o que você tem!

Samuel Magalhães é Consultor Financeiro, Palestrante, fundador do Portal www.invistafacil.com e do instagram @oinvestidor.

O QUE FAZER COM O 13º?

O fim de ano está chegando e com ele muita coisa boa: natal, presentes, ceia, réveillon, festas, férias e, claro, o décimo terceiro salário. Dinheiro é sempre bem-vindo e quando ele chega justamente quando temos presentes para comprar e tempo para gastar melhor ainda.
Esse é o pensamento que certamente passa pela cabeça de boa parte dos brasileiros que já recebeu ou está prestes a receber sua gratificação extra. Não posso culpá-los. Nada mais natural que associar dinheiro a consumo, ainda mais em um período em que todos estão comprando de tudo e as lojas não param de anunciar suas “Ofertas Imperdíveis”.
Infelizmente, esses brasileiros que não veem a hora de por as mãos no décimo terceiro são os mesmos que estão com dívidas até o pescoço. Passaram o ano todo parcelando as compras no cartão até que uma hora essas parcelas pararam de caber no bolso. Resultado? Dívidas, dívidas e mais dívidas.
Se esse é seu caso, não pense duas vezes, destine essa graninha a mais para ajudar a quitar as dívidas e equilibrar seu orçamento. Sei que é difícil abrir mão das tentações que o fim de ano nos impõe, mas acredite, lá na frente você agradecerá por ter tomado a decisão correta.
Ninguém gosta de não poder comprar presentes, ter que adiar a viagem com a família, ter que diminuir a quantidade de saídas e os valores gastos cada vez que se sai de casa, mas, mesmo sem gostar, é isso que você precisa fazer para colocar suas finanças nos eixos.
2016 está chegando e junto com ele a esperança de um futuro melhor. Novos projetos, novas possibilidades, ano novo, vida nova. Nada melhor do que aproveitar esse momento de transição para reorganizar sua vida em todos os aspectos, inclusive no financeiro.
Tire o tempinho que te resta ainda esse ano para colocar as contas em dia, renegociar dívidas, se preparar para as muitas despesas que estão a sua espera logo em janeiro. Enfim, fazer tudo que for necessário para que o ano que está por vir seja melhor do que este que está terminando.
O décimo terceiro, dificilmente, resolverá todos os seus problemas. Nem por isso, deixe de utilizá-lo para te ajudar nessa caminhada. Ruim com ele, pior sem ele. Não abara mão desse importante recurso em troca do consumo de alguns bens dos quais você nem mesmo precisa. Sei que essa não é uma decisão fácil, mas afinal, o que na vida é fácil?
Quer que o próximo ano seja melhor do que este? Construa essa melhora! Ela começa por mudar seus hábitos financeiros, dentre eles, a maneira que você utiliza seu décimo terceiro. Não espere entrar o ano para começar a planejar seu futuro. Se quiser colher resultados amanhã, você precisa começar a mudar hoje.
A escolha é sua! O poder está em suas mãos. Saiba que da mesma maneira que seus resultados atuais são fruto do que você plantou algum tempo atrás, seus resultados futuros serão fruto do que você está plantando hoje. Se você já sabe o que quer colher no futuro, você também sabe o que deve plantar no presente.
Use seu décimo terceiro com consciência, seu bolso agradece.

 Samuel Magalhães é Consultor Financeiro, Palestrante, fundador do Portal www.invistafacil.com e do instagram @oinvestidor.

Tecnologia do Blogger.