sexta-feira, 11 de março de 2016

MULHERES, O SEXO FORTE!

Há quem diga ainda que as mulheres são o sexo frágil! E por incrível que pareça, algumas pessoas – mulheres inclusive- concordam com essa afirmação. Se você também concorda, sugiro que pegue um dicionário e vá em busca do significado desse vocábulo.
Nada poderia estar mais longe da verdade do que essa observação! Não estou dizendo que haja algum problema com ser frágil, nem mesmo que as mulheres deveriam ser diferentes, mas fato é: a mulher é o sexo forte!
Nas últimas décadas, as mulheres vêm, dia a dia, ocupando um espaço de maior relevância na sociedade. O tempo em que o papel delas era ser mãe, esposa e dona de casa ficou para trás e certamente não volta mais.
Atualmente, o que vemos são mulheres independentes, ocupando posições de liderança no mercado de trabalho, abrindo sua própria empresa, prosperando financeiramente. E o melhor? Sem depender de homem nenhum para isso! Demorou um pouco para as mulheres se darem conta do seu potencial, mas agora que perceberam, ninguém mais as segura.
Talvez você esteja se perguntando: Ok, tudo isso aconteceu, mas o que eu tenho a ver com isso? De que forma isso influencia na minha vida?
Essa mudança de paradigma tem transformado tudo e todos ao nosso redor. Algumas funções antes restritas ao universo masculino, passaram a ser ocupadas por mulheres. Cargos de lideranças em empresas multinacionais que antes eram ocupados por homens na casa dos cinquenta, hoje estão nas mãos de mulheres na casa dos trinta.
O mundo empresarial que antes era de maioria absoluta dos macho-alfa, hoje estão sendo invadidos por empresárias que tem deixado muitos marmanjos no chinelo.
Lembro-me de um desenho que eu assistia na minha infância chamado “Pinky e o Cérebro.” O desenho narra a trama de dois camundongos que tinham como objetivo dominar o mundo. Ao que parece, o tal desenho serviu de inspiração para muitas das mulheres em destaque que vemos hoje mundo a fora.
Mas fiquemos tranquilos homens, as mulheres não irão dominar o mundo! Sabe por quê? Porque elas já dominaram! E a pior parte para nós é que ainda não dos demos conta disso. Talvez, na hora que a ficha cair pode já ser tarde demais.
Quer seja para nossas carreiras, nossas empresas ou nossas finanças, temos muito a aprender com as mulheres. Elas são visionárias, determinadas, inteligentes e mais habilidosas que nós para a maioria das atividades que o mundo exige!
Ficamos por um longo período no trono e por excesso de incompetência, elas foram lá e nos destituíram. Se você não concorda comigo, olhe ao seu redor. Olhe na sua empresa, na sua família, na sua vizinhança... olhe para onde quiser, as evidências estão por todos os lados: as mulheres estão no comando!
E o que será de nós homens agora? Bem, eu não sei! Teremos que ter humildade para aprender com as mulheres e ver se descobrimos, afinal, elas sempre tem todas as respostas!
Fale com o autor: contato@samuelmagalhaes.com.br.

Samuel Magalhães é Consultor Financeiro, Palestrante, fundador do Portal www.invistafacil.com e do instagram @oinvestidor. 

quinta-feira, 3 de março de 2016

O PAÍS DA RENDA FIXA!

Não é de hoje que o Brasil é conhecido como o país da renda fixa! Com a taxa de juros a 14,25% ao ano, o Brasil só fica atrás de países como Venezuela, Irã, Moldávia, Cazaquistão, Uganda e alguns outros.
Como você deve ter percebido, nenhum país minimamente desenvolvido ou sério tem taxa de juros maior que a nossa. Ou seja, temos um potencial econômico de primeiro mundo, mas uma taxa de juros de terceiro mundo.
Essa anomalia faz com que muitos investidores estrangeiros escolham nosso país para aportar seus recursos. Mesmo com elevada inflação, desemprego em alta, economia em recessão, crise política interminável e com a velha insegurança jurídica que insiste em atormentar os estrangeiros que por aqui aportam seus recursos, em se tratando de investimento “livre de risco” continuamos sendo um oásis no meio do deserto.
Apesar do prejuízo que uma SELIC elevada trás à economia do país e às contas públicas, para a população que tem dinheiro guardado e não sabe aonde investir, essa pode ser uma excelente oportunidade de obter boa rentabilidade sem correr muitos riscos.
Com a taxa de juros elevada, os ativos de renda fixa tendem a ter sua rentabilidade aumentada por acompanharem esse movimento de mercado. Resultado? Títulos do Tesouro, LCIs, LCAs, CDBs e outros produtos estão remunerando muito bem os investidores.
Se o seu dinheiro está parado na poupança ou se você pretende iniciar em breve no mundo dos investimentos, considere alocar uma fatia do seu capital em ativos de renda fixa. Assim, você conseguirá obter uma rentabilidade superior estando submetido ao mesmo nível de risco.
No entanto, é preciso ter atenção para alguns detalhes importantes. Nas aplicações em que incidem imposto de renda, como Títulos do Tesouro e CDBs, o ideal é que seu capital fique investido por, mais de dois anos, pois assim você pagará a menor alíquota de imposto – 15% sobre o ganho de capital.
Em se tratando de renda fixa, bancos e financeiras de menor porte tendem a remunerar melhor o capital investido do que as grandes instituições. Dependendo do produto e da instituição, essa diferença pode representar um ganho substancial ao longo de alguns anos. Portanto, antes de investir no primeiro produto que seu gerente te indicar, compare com produtos de outras instituições de menor porte para ver qual a melhor opção para seu bolso.
Nunca é demais lembrar que o Banco Central possui um instrumento denominado FGC – Fundo Garantidor de Crédito. Esse instrumento assegura que, caso a instituição financeira tenha problemas que a impeça de honrar seus compromissos, o Banco central irá ressarcir cada CPF até o limite de R$250 mil.
Fique atento aos detalhes citados e você estará muito próximo de investir seu dinheiro de maneira correta, segura e ainda por cima, obter um belo retorno financeiro.
Antes que você diga que não tem dinheiro para investir, lembro-te que, atualmente, com menos de R$50 é possível investir em alguns produtos de renda fixa.
E agora, qual a sua desculpa?

Samuel Magalhães é Consultor Financeiro, Palestrante, fundador do Portal www.invistafacil.com e do instagram @oinvestidor.

NÃO POUPE POR POUPAR!

Não poupe por poupar! O título deste artigo traz consigo uma mensagem óbvia, mas de extrema importância: poupar por poupar não tem lógica, devemos ter um objetivo por trás disso!
Em minhas últimas consultorias, tenho me deparado com um perfil peculiar de clientes: são pessoas bastante organizadas financeiramente, extremamente disciplinadas quando o assunto é poupança, mas que não possuem objetivos claros para a utilização do dinheiro. Em outras palavras, pessoas que economizam boa parte do que ganham, mas que não sabem que destino darão para esse dinheiro poupado no futuro.
Ninguém é obrigado a nada: nem a poupar, muito menos a ter um objetivo claro para o dinheiro poupado! Entretanto, se pararmos para pensar, veremos que o dinheiro em si não passa de um pedaço de papel. O que tem valor para nós são os benefícios que esse dinheiro pode nos trazer.
Roupas bonitas, restaurantes luxuosos, carros importados, viagens e por aí vai! Essas e muitas  outras coisas são fruto do nosso desejo de ter uma vida melhor e é esse desejo que nos faz poupar. Isso que nos leva a abrir mão de gastar o dinheiro no presente para ter mais dinheiro para gastar no futuro e, dessa maneira, atingir nossas metas financeiras.
Quando poupamos por poupar, podemos até estar tomando uma decisão financeiramente correta, mas por não termos objetivos para aquele dinheiro, a não ser acumular mais e mais, uma hora iremos cansar de continuar poupando. Nessa hora, toda aquela disciplina será deixada de lado e, como num passe de mágica, alguém que passou a vida inteira sendo uma pessoa econômica, passa a gastar tudo que tinha economizado e mais um pouco.
Se você ainda não iniciou sua poupança, comece para ontem! É ela que vai te proporcionar uma vida tranquila no futuro. Se você já começou, defina o quanto antes o destino daquele dinheiro, pois são esses objetivos que te motivarão a continuar poupando ao longo do tempo.
Caso você esteja perdido e não saiba por onde começar, sugiro que divida seus objetivos em três: curto, médio e longo prazo. Assim, o dinheiro que você está poupando e investindo servirá para que você atinja seus objetivos maiores no futuro, mas te ajudará também a atingir aqueles objetivos menores daqui a alguns meses.
Dinheiro é imprescindível na vida de todos nós, mas ele precisa estar ao nosso serviço e não o contrário. A melhor forma de fazer isso? Tendo metas claras que sirvam de estímulo para que possamos utilizar os recursos acumulados para tornar nossa vida mais prazerosa.
Infelizmente, uma parcela substancial da população ainda não conseguiu despertar para a importância que um planejamento financeiro tem para nossa vida, mas se você já construiu o seu e iniciou sua poupança, nunca perca de vista os seus objetivos, afinal, foi por causa deles que você começou a poupar, lembra?
Juntar dinheiro é ótimo e torna-se ainda melhor quando temos um destino claro para aquele capital que estamos acumulando.

Samuel Magalhães é Consultor Financeiro, Palestrante, fundador do Portal www.invistafacil.com e do instagram @oinvestidor.

Tecnologia do Blogger.