quinta-feira, 28 de abril de 2016

CUIDADO COM AS VERDADES ABSOLUTAS!

O ser humano adora verdades absolutas! Adoramos um dogma e mesmo quando ele não existe, logo damos um jeito de criar. Isso vale para a política, futebol, religião, relacionamentos, negócios e, é claro, finanças pessoais.
Poupança é um investimento seguro! Devemos ter a casa própria! Pagar aluguel é jogar dinheiro fora! Bolsa de valores é igual a cassino!
Para muitos, essas e outras afirmações são uma verdade absoluta! E não há mal algum nisso, afinal, cada um de nós temos as nossas próprias convicções. O problema é que, muitas vezes, acreditamos que o que é verdadeiro para nós é para todos. E, é claro, isso está longe de ser verdade.
Precisamos entender que não somos o centro do universo e que o mundo não gira ao nosso redor. Portanto, nossas crenças são apenas isso... algo em que acreditamos, algo que é verdadeiro para nós, talvez para mais algumas pessoas, talvez até para muita gente, mas nunca, jamais, em hipótese alguma, uma verdade universal.
Digo isso, pois percebo que muitas vezes o que escrevo é tido por alguns como uma verdade absoluta. E apesar de ficar feliz com a confiança que você, caro leitor, tem depositado em mim ao longo de todo esse tempo, quero que saiba que não sou o dono da verdade. Não sei de tudo e, muito menos, tenho a pretensão de saber.
Tenho o objetivo de aprender cada vez mais e, sabe o que é mais curioso? Quanto mais eu aprendo mais eu vejo que tenho o que aprender. Afinal, o que é a vida, se não um eterno aprendizado?
As opiniões, informações e conhecimentos que exponho nos meus artigos, consultorias e palestras são a minha verdade, são o que eu acredito... e nada mais! Não são uma verdade universal e, talvez, não se apliquem a você, a sua realidade, ao seu momento de vida!
Não sou um guru! Sou sim um estudioso e apaixonado pelo mundo das finanças e empreendedorismo que adora compartilhar o que sabe com as pessoas. Mas sabe de uma coisa? Pode ser que o que eu saiba, o que eu escreva ou fale, simplesmente não sirvam para você. E sabe por quê? A minha verdade é diferente da sua! E isso não faz de mim um mentiroso, nem de você o dono da verdade. Isso faz de nós simplesmente diferentes.
Pessoas diferentes, pensamentos diferentes, verdades diferentes. Portanto, antes de acreditar ou desacreditar no que eu falo, reflita se isso se aplica a sua realidade. Pense se a minha verdade também é verdadeira para você. Pense se o que eu digo se aplica a você. Pense, só peço que você pense.
Vivemos em um mundo em que as pessoas têm preguiça de pensar e isso é preocupante. Ligamos nosso receptor no piloto automático e acreditamos em tudo que lemos, escutamos ou assistimos. Não é a toa que estamos submersos em uma crise mais que política e econômica, de valores.
Quer seja no âmbito pessoal, profissional ou financeiro, para termos sucesso precisamos entender a realidade do mundo, a realidade daqueles a nossa volta e a nossa realidade e, somente aí, decidirmos o que é verdadeiro ou não para cada um de nós! Afinal, todos nós precisamos ter algumas verdades para acreditar.
Fale com o autor: contato@samuelmagalhaes.com.br.

Samuel Magalhães é Coach especializado em Finanças e Negócios e fundador do Portal www.invistafacil.com.

sexta-feira, 22 de abril de 2016

É HORA DE MUDAR!

No último domingo, nossa jovem democracia deu um importante passo em direção à maturidade: a votação para a abertura do pedido de impeachment da atual presidente foi aprovada pela Câmara dos Deputados.
O processo será agora apreciado pelo Senado. Ainda não sabemos se Dilma vai, ou fica. Mas de uma coisa eu tenho certeza: precisamos de mudanças! O Brasil pede mudanças! Eu peço mudanças! Você pede mudanças! Todos pedimos mudanças! Mas será que estamos mesmo dispostos a mudar?
Muito se fala da crise econômica que estamos vivenciando já há algum tempo. Reclamação para lá, lamúria para cá e as alternativas para mudar esse cenário, cadê? E os novos caminhos que devemos seguir para mudar essa realidade, aonde estão? E nosso espírito revolucionário, transformador que vemos pelas ruas deste país nas manifestações contra Dilma e sua trupe, por onde andam?
É hora de mudar sim! Independente de Brasília, independentemente de com ou sem Dilma, precisamos fazer a nossa parte para fazer o Brasil crescer!
Vivemos reclamando das pedaladas fiscais do governo, do endividamento, de uma série de outros erros na gestão do dinheiro público. Mas eu te pergunto: como estão as suas finanças? Você tem administrado corretamente seus recursos? Como anda seu orçamento doméstico? Como está seu nível de endividamento? Anda pagando as contas todas em dia ou já entrou no cheque especial há tempos?
Estou torcendo para que Dilma saia do poder, mesmo sabendo que quem irá sucedê-la não é lá grande coisa. Mas independente dela sair ou não, independente de se quem irá sucedê-la é competente ou não, precisamos entender que a verdadeira mudança dos rumos desse país começa conosco!
Vivemos no país da hipocrisia! Reclamamos das dívidas do governo, mas vivemos endividados. Reclamamos dos políticos corruptos, mas sempre tentamos levar vantagem em tudo. Reclamamos da falta de preparo dos nossos governantes, mas não nos damos ao trabalho de ler um livro ou fazer um curso para nos tornar melhores profissionais. Vivemos reclamando que ninguém nos ajuda, mas não nos damos ao trabalho de ajudar ninguém!
 Esse é o Brasil! Uma população que reclama dos gastos públicos, mas que está disposta a pagar R$2 mil por um celular, R$300 por uma calça, R$100 por um show, mas acha caro pagar R$30 para assistir a uma peça de teatro ou para comprar um livro.
Nossos governantes são exatamente iguais a nós! Afinal, fomos nós que os escolhemos para nos representar, não foi mesmo?
Gandhi já dizia: “Seja a mudança que você quer ver no mundo!”. Talvez, isso seja tudo que precisamos agora. Com Dilma ou sem ela; com impeachment ou sem impeachment, o que precisamos, na verdade, não é mudar Brasília ou o Brasil, mas sim mudar a nossa realidade. Precisamos parar de querer mudança e começar a ser a mudança! A partir daí, tenho certeza que nossas vidas e, em consequência, o nosso país terá o futuro que ele merece!
Fale com o autor: contato@samuelmagalhaes.com.br.

Samuel Magalhães é Coach especializado em Finanças e Negócios e fundador do Portal www.invistafacil.com.

DINHEIRO E CARREIRA

Todos nós sabemos o impacto que uma carreira de sucesso pode ter nas nossas finanças. Afinal, um profissional bem sucedido costuma receber remunerações polpudas e nada melhor do que um bom salário para alavancar nossa vida financeira, não é verdade?
Entretanto, a ordem inversa também é verdadeira, mas pouca gente se dá conta disso. Da mesma maneira que o sucesso profissional impacta na vida financeira, a organização financeira impacta na vida profissional.
A maioria das pessoas com dificuldades financeiras acreditam que uma maior remuneração é a solução de todos os seus problemas. Não é! Ou melhor, pode até ser, mas para conseguir melhorar seus rendimentos é preciso, primeiro, estruturar-se financeiramente. Ainda não entendeu o impacto que as finanças em dia podem representar na sua carreira? Eu explico!
Pessoas que enfrentam problemas financeiros possuem uma probabilidade muito maior de passar por conflitos familiares. Esses conflitos, por sua vez, dificultam a falta de foco e diminuem a produtividade do profissional no seu trabalho. Profissionais sem foco e pouco produtivos dificilmente conseguirão ascender profissionalmente. E quem não cresce profissionalmente não ganha mais, e quem não ganha mais tende a enfrentar problemas financeiros. Simples assim!
Entendeu agora? A desorganização financeira gera uma espiral de acontecimentos negativos que fazem com que o seu crescimento profissional seja muito lento e, em muitos casos, nem mesmo aconteça. As consequências disso, você talvez esteja sentindo na pele.
Uma pessoa financeiramente organizada consegue romper com esse ciclo vicioso; pagar suas contas em dia; evitar que problemas financeiros perturbem o ambiente familiar; ter um  melhor desempenho na sua profissão e, talvez o mais importante, ter recursos para investir em si próprio, na sua carreira e no seu desenvolvimento profissional.
Se você é uma pessoa desorganizada financeiramente, é bem possível que esteja enfrentando algumas das dificuldades as quais nos referimos anteriormente. Mas tenha calma: sempre existe uma solução!
A solução, nesse caso, começa por elaborar um orçamento e destinar parte das suas receitas para investir na sua própria carreira. Destine um percentual do que você ganha: 5%, 10%, 20%... ou o quanto você achar mais adequado e invista na sua carreira.
Esse investimento pode ser feito de diversas maneiras, mas destaco duas que considero especialmente importantes: conhecimento e imagem.
No tocante ao investimento em conhecimento, você pode fazê-lo através da aquisição de livros, inscrição em cursos, MBA, etc. Já no que diz respeito à imagem, você pode utilizar esses recursos para dar um upgrade no seu guarda-roupa corporativo, adquirindo melhores roupas; ou quem sabe comprando um notebook ou tablet mais moderno para você utilizar nas suas reuniões de trabalho.
Quer crescer na sua carreira? Invista nela! Antes de colher é preciso plantar. Infelizmente, muitas pessoas não se dão conta disso e acabam deixando de investir no mais importante: suas próprias carreiras.
 Fale com o autor: contato@samuelmagalhaes.com.br.

Samuel Magalhães é Consultor Financeiro, Palestrante, fundador do Portal www.invistafacil.com e do instagram @oinvestidor. 

5 FATORES FUNDAMENTAIS PARA SE DAR BEM NOS INVESTIMENTOS

Nessa segunda, tive o privilégio de ser o convidado especial do programa Tudo pelo seu Dinheiro, do Conrado Navarro, fundador do Portal Dinheirama, o maior do país quando o assunto é Finanças Pessoais.
Ao longo de uma hora conversamos sobre renda fixa, renda variável, imóveis e outros assuntos referentes ao tema. Como é de praxe no programa, o apresentador abriu para perguntas do público, para que pudessem interagir conosco e, claro, ajudarmos a sanar algumas dúvidas.
Como era de se esperar, muitos espectadores estavam em busca de respostas prontas, as famosas receitas de bolo. Onde devo investir R$800 por mês? Tenho R$40 mil disponíveis para investir, onde devo colocar meu dinheiro?
Infelizmente, fomos obrigados a deixar algumas pessoas sem respostas e o motivo é bem simples: não existe resposta pronta! Em se tratando de investimentos, não existe receita de bolo, até porque o bolo que eu gosto, você pode não gostar e vice-versa.
O que nós, enquanto investidores precisamos entender é que a resposta para essas e muitas outras perguntas depende de uma série de variáveis. São elas:
Seu perfil de investidor: Nenhuma decisão de investimento deveria ser tomada antes de você conhecer o seu perfil de investidor. Para descobrir o investimento mais adequado para você, é preciso, antes de tudo, conhecer a si mesmo. Como você lida com as perdas? E com os lucros? Quanto você está disposto a perder para ganhar? Isso tiraria seu sono?
Suas metas financeiras: Outro fator fundamental é você saber qual o destino dará aos recursos investidos. O que você fará com o dinheiro? Quando você precisará resgatar seus investimentos para fazer uso desses recursos? Qual a rentabilidade esperada para que você consiga atingir sua meta?
Capital disponível: Dependendo do montante que você tenha à disposição para investir, pode ser que a estratégia de alocação de recursos mude, afinal, a gestão de risco varia de caso a caso. Quanto você tem disponível para investir inicialmente? Você fará aportes periódicos? De quanto em quanto tempo? Quanto você irá aportar periodicamente?
Seu nível de conhecimento: Um investidor pode até ser bem sucedido com pouco capital, mas ele jamais o será com pouco conhecimento. Qual seu nível de conhecimento sobre as alternativas de investimento disponíveis? Como você pode aprimorar esse conhecimento?
Tempo: Por último, mas não menos importante, é preciso analisar o tempo que você tem para dedicar aos seus investimentos. Dificilmente você conseguirá ser um bom especulador do mercado financeiro se não puder dispor de algumas horas diariamente para tomar suas decisões financeiras. Quanto tempo você tem para se dedicar aos investimentos? Esse tempo é diário, semanal ou mensal? Qual tipo de investimento mais adequado para o tempo que você tem disponível?
Os aspectos listados anteriormente funcionam como um check list dos seus investimentos. Seguir todos os passos sugeridos não traz garantia de lucro, mas arrisco-me a dizer que não segui-los é correr um sério risco de arcar com prejuízos.
Fale com o autor: contato@samuelmagalhaes.com.br.

Samuel Magalhães é Consultor Financeiro, Palestrante, fundador do Portal www.invistafacil.com e do instagram @oinvestidor. 

quinta-feira, 7 de abril de 2016

VOCÊ PRECISA DE UM COACH?

Muito tem se ouvido falar por aí em coaching. No entanto, por se tratar de uma profissão ainda pouco conhecida no Brasil, o coach, muitas vezes, é visto com desconfiança e, em alguns casos, como sinônimo de charlatanismo. Tudo que se relaciona ao tema virou sinônimo de modismo e, na cabeça de muitos, essa moda já já vai passar. Será que vai?
Para que você possa criar o seu juízo de valor sobre isso, é necessário, primeiramente, que entenda alguns conceitos importantes. Vamos a eles...
O coaching nada mais é do que o processo em que, a partir de uma série de questionamentos e reflexões,  um coach –profissional de coaching – irá auxiliar o seu coachee – cliente – a descobrir o caminho mais adequado a seguir para atingir seus objetivos.
Esses objetivos podem ser nas mais diversas áreas da vida: relacionamento; saúde; intelectual; familiar; profissional; financeira, dentre outras. O coachee leva até seu coach uma demanda específica: “Quero arranjar uma namorada!”; “Quero ser promovido!”; “Quero melhorar o desempenho da minha empresa!”; “Quero conquistar a minha independência financeira!”. Ao longo do processo de coaching - que dura cerca de dez sessões – coach e coachee trabalharão em parceria para que esse objetivo seja alcançado.
Em geral, esse trabalho se baseia na reflexão sobre o estado atual e procura o melhor caminho para chegar ao estado desejado. Através da utilização de algumas ferramentas, de perguntas que irão ajudar o coachee a encontrar respostas necessárias e da definição de planos de ação para avançar em direção a meta traçada, coach e coachee caminham juntos em um processo de desenvolvimento e ajuda mútua.
Já fui coachee e sou coach! Por conhecer bem os dois lados desse processo, vejo como é importante o papel que um coach pode ter nas nossas vidas. Enquanto coachee, pude perceber como o processo é poderoso e me ajudou a colocar em prática algumas coisas que foram fundamentais para eu obter os resultados que almejava, mas que, por uma série de razões, eu ainda não tinha feito.
Enquanto coach, percebo exatamente a mesma coisa! Muitas vezes, o que as pessoas precisam é de alguém para fazê-las refletir sobre as coisas, questionar certas verdades absolutas. Alguém que possa ajudá-las a ter um norte quando, muitas vezes, estão totalmente perdidas. Este é o papel do coach: ajudar você a descobrir aonde deseja chegar e o que precisa fazer para chegar lá.
O processo de coaching é focado em resultados, portanto, tudo que é feito é mensurado, o que ajuda principalmente aquelas pessoas que são um pouco indisciplinadas para certas atividades.
Antes que as pedras dos céticos comecem a voar em minha direção, eu digo: Não, o coaching não é a solução de todos os problemas do universo, muito menos a salvação do mundo... não é! Mas de uma coisa eu tenho certeza, para uma imensa parcela da população que não sabe aonde quer chegar ou que sabe, mas está com dificuldade em conseguir chegar até lá, o coaching pode ser o melhor caminho.
Se esse for o seu caso, busque um coach qualificado para iniciar essa caminhada. Se não sua cidade não tiver nenhum, não tem problema, pois as sessões podem ser feitas à distância por skype. Um coach pode ser o que está faltando para você atingir seus objetivos!
Fale com o autor: contato@samuelmagalhaes.com.br.

Samuel Magalhães é Coach especializado em Finanças e Negócios e fundador do Portal www.invistafacil.com.

O LEÃO ESTÁ FAMINTO!

Dia 29 de abri é o prazo final para entrega da declaração do Imposto de Renda. Mas se você pensa que essa data está longe e vai deixar para fazer tudo de última hora - como todo bom brasileiro - sugiro que repense, afinal, apesar de simples, é preciso muita atenção para não cometer nenhum erro na declaração e evitar entrar na malha fina e ter uma grande dor de cabeça futuramente.
Se você costuma acompanhar noticiários, já deve ter visto, lido ou ouvido alguma matéria que fale sobre as dificuldades financeiras que nosso país vem enfrentando ao longo dos últimos anos. O superávit primário – economia para pagar os juros da dívida pública – que fazíamos até um tempo atrás, não fazemos mais. E o pior, além de não poupar, nossos gastos estão superiores a nossa arrecadação. Com um governo tão corrupto e perdulário, o que poderíamos esperar de diferente?
Uma coisa é fato: a Dilma está ávida por dinheiro para conseguir pagar suas contas! E o que isso tem a ver com você que irá declarar seu imposto daqui a um mês? Tudo! Somos nós que financiamos o Brasil, lembra? Em um momento adverso, o governo aumenta ainda mais seu apetite  por angariar recursos e a declaração do Imposto de Renda é um prato cheio para isso.
O leão está mais faminto que nunca! Todo pedaço de carne será muito bem vindo. A fome dos nossos governantes por recursos está grande como há muito tempo não se via. Para tapar o rombo da incompetência e desonestidade é preciso de muitos, muitos, muitos recursos mesmo. Recursos meus, seus e de um país inteiro.
Ao elaborar sua declaração deste ano, é preciso redobrar sua atenção, pois a Receita irá triplicar a atenção dela em busca de qualquer mínimo deslize que você tenha cometido para aumentar a sua arrecadação.
Antes de iniciar o preenchimento da declaração, é importante que você tenha em mãos todas as informações financeiras referentes ao ano passado. Dessa forma, você não precisará parar o preenchimento para ficar correndo de um lado para o outro atrás de papelada nenhuma. Isso pode tirar a sua atenção e desviar o foco da declaração. Não corra esse risco!
A declaração é autoexplicativa. Se você tiver o mínimo de paciência e cuidado, consegue efetuá-la de maneira correta e sem maiores dificuldades. Caso você tenha alguma dúvida, é provável que ela esteja esclarecida no próprio site da Receita Federal no campo de dúvidas mais frequentes.
Caso a sua vida financeira seja muito complexa, você não tenha paciência ou não se sinta capacitado para fazer a declaração sozinho, não exite em pedir auxílio de alguém que possa ajudá-lo, de preferência um contador que o profissional mais indicado para tal.
Sei que para a maioria dos brasileiros, esse é um momento chato, cansativo e que causa um grande stress. No entanto, aproveite que você está de posse das suas informações financeiras para analisar como andam as suas finanças.
O que você tem feito com o seu dinheiro? Seu patrimônio tem aumentado ao longo dos anos? Aonde seus recursos estão investidos? Esse investimento está te dando um retorno satisfatório? O que você pode fazer para melhorar a gestão dos seus recursos?
Procure tornar esse momento burocrático em um momento de reflexão e aprendizado. Seu bolso agradece!
 Fale com o autor: contato@samuelmagalhaes.com.br.

Samuel Magalhães é Consultor Financeiro, Palestrante, fundador do Portal www.invistafacil.com e do instagram @oinvestidor. 

Tecnologia do Blogger.