segunda-feira, 30 de maio de 2016

PREVIDÊNCIA PRIVADA, UMA OPÇÃO PARA A APOSENTADORIA!

Em se tratando de aposentadoria, a esmagadora maioria da população tende a cometer dois erros: não se preocupar com isso ou se preocupar tarde demais.
Temos a sensação que a velhice é algo distante e, dessa forma, vamos postergando indefinidamente uma decisão que deveríamos tomar no início das nossas vidas profissionais: o planejamento da nossa aposentadoria.
A Previdência Privada é uma das alternativas para quem quer uma renda complementar na aposentadoria. Existem basicamente dois formatos: PGBL - Plano Gerador de Benefícios Livre -  e VGBL - Vida Gerador de Benefícios Livre.
A diferença entre os dois é que no PGBL é possível deduzir do IR até 12% da sua renda bruta tributável, ou seja, a base sobre a qual irá incidir o imposto na sua renda é menor. Em contrapartida, nesse formato, o imposto sobre a previdência privada irá incidir sobre o total acumulado, incluindo os aportes. Ou seja, o imposto sobre a sua renda será menor, mas o imposto sobre a previdência será maior.
Já no VGBL, não existe esse benefício tributário da dedução do imposto, entretanto, o imposto sobre a previdência irá incidir apenas sobre a rentabilidade do capital investido e não sobre os aportes, como acontece no PGBL. O VGBL, na verdade, funciona como um seguro de vida. Se o contribuinte vier a faltar, a família recebe o benefício. No entanto, caso isso não ocorra, ele pode se beneficiar do investimento realizado.
Vale lembrar que existem duas opções de se beneficiar desse investimento. A primeira maneira é fazendo o resgate da previdência, o que contempla o valor investido mais a rentabilidade do plano. A outra opção é deixar o montante investido e escolher uma renda mensal ao longo dos próximos 10, 15 ou 20 anos. Essa renda será proporcional ao montante disponível para resgate.
Antes de iniciar uma previdência privada é importante que se faça uma pesquisa de mercado nas instituições financeiras e se compare os diversos produtos ofertados. O investidor precisa ter dois cuidados básicos. O primeiro deles é verificar a idoneidade da instituição na qual ele pretende iniciar seu plano. E o segundo é verificar as taxas que são cobradas por essa instituição.
 Muitos planos tornam-se inviáveis financeiramente devido às taxas cobradas. Fuja de previdências que te cobrem taxa de carregamento - qualquer que seja ela - e taxas de administração superiores a 2% ao ano. Fazendo isso, você já terá se livrado de boa parte dos problemas.
Como em qualquer outro investimento, mais importante até do que a quantidade de capital investida é quanto tempo o dinheiro ficará trabalhando para você. Um jovem de 20 anos que inicia um plano de previdência vislumbrando 30 anos a frente, provavelmente terá um retorno maior do que alguém que inicia aos 45 anos, para se aposentar aos 65. Quanto antes o investidor começar, melhor. Mas se ainda não começou, comece, independente da idade! Afinal, antes tarde do que nunca.
É importante o investidor entender que a previdência privada é apenas um dos mecanismos de se investir para a aposentadoria. É fundamental para o futuro financeiro de uma família ou indivíduo que haja esse planejamento financeiro com horizonte de longo prazo. No entanto, existem outras modalidades de investimento, além da previdência privada que podem ser até mais vantajosas, dependendo do seu perfil de investidor e dos seus objetivos. Independente do formato escolhido, o importante é investir. Se você ainda não começou, comece...já!
Fale com o autor: contato@samuelmagalhaes.com.br.
Samuel Magalhães é Coach especializado em Finanças e Negócios e fundador do Portal www.invistafacil.com.



INVISTA NA SUA CARREIRA!

Diariamente, sou abordado por pessoas que me perguntam: “Samuel, aonde devo investir meu dinheiro? Qual o melhor investimento? O que dá mais retorno?”.
Essas pessoas esperam que eu dê alguma sugestão sobre qual Título do Tesouro devem comprar, quais os Fundos Imobiliários mais promissores, ou ainda, qual a próxima ação que será a bola da vez na Bolsa de Valores.
O que essas pessoas não se dão conta é que, antes de investir no Mercado Financeiro, é preciso fazer um investimento ainda mais importante: investir na sua carreira.
Benjamin Franklin já dizia: “investir em si mesmo rende sempre os melhores juros”. Infelizmente, a maioria de nós esquece disso no dia a dia e, assim, acabamos perdendo boas oportunidades de turbinar nossa carreira e, consequentemente, nossas finanças.
Independente da sua idade, do seu tempo de profissão, de quanto tempo está na mesma empresa, se você pretende ser competitivo, você precisa investir em si mesmo.
Veja, não estou falando de uma possibilidade, mas de uma necessidade. O mínimo que você precisa para não ficar para trás da concorrência é investir em si. Não espere que seu chefe, seu pai ou seu cônjuge invistam em você. Essa responsabilidade é sua e de mais ninguém. Ou você faz ou ninguém mais fará! Simples assim!
Se você já está convencido – eu espero que esteja – de que não existe outra alternativa, a não ser investir em si próprio, você deve estar se perguntando: “Como fazer isso?”.
Bem, opções são o que não faltam! Mas antes de sair por aí comprando a livraria inteira ou se matriculando em dezenas de cursos, treinamentos e especializações, vou te dar uma dica.
Faça uma análise da tua carreira. O que você fez até hoje? Aonde você chegou? Você se orgulha de estar fazendo o que faz hoje? De 0 a 10, que nota você se dá como profissional? O que você precisa fazer para melhorar seu desempenho?
Sei que para muitos o autoconhecimento é bobagem e não passa de autoajuda barata. Eu não penso assim! Nos processos de coaching que tenho desenvolvido junto aos meus clientes, percebo como conhecer a si próprio tem uma importância fundamental em nossas carreiras e como o autoconhecimento, aliado às ferramentas corretas e a um plano de ação claro e bem definido podem potencializar nossos resultados de uma maneira inimaginável.
Não existe profissional perfeito! Cada um de nós temos nossos pontos fortes, mas também nossos pontos fracos. O que precisamos fazer é potencializar o que temos de bom e não deixar com que o restante nos impeça de alcançar nossos objetivos.
O primeiro passo para ampliar seus ganhos é investir na sua carreira. E o primeiro passo para investir na sua carreira é conhecer a si próprio, não apenas enquanto profissional, mas também enquanto ser humano.
Se não quiser acreditar em mim, tudo bem, mas por favor, acredite em Benjamin Franklin!  “Investir em si próprio rende sempre os melhores juros”.
Fale com o autor: contato@samuelmagalhaes.com.br.

Samuel Magalhães é Coach especializado em Finanças e Negócios e fundador do Portal www.invistafacil.com.

segunda-feira, 16 de maio de 2016

O QUE FAZER COM O MEU DINHEIRO?

Momentos de incerteza como o que estamos vivenciando neste exato momento costumam deixar a população sem resposta quando a pergunta é: o que fazer com meu dinheiro?
Deixar parado na poupança? Investir? Aonde? E se eu perder?
Com o cenário político no foco de todos os noticiários, sobra pouco espaço para debatermos o que realmente interessa ao país: o que fazer para mudarmos e, enfim, deixar essa crise para trás?
Como não temos resposta, o jeito é nos virar com o que temos. E, para ser franco com você, não temos muita coisa. Porém, mesmo com muitas perguntas e poucas respostas, mesmo com muitas dúvidas e poucas certezas, mesmo com muitos problemas e poucas soluções, precisamos encontrar o caminho.
Qual caminho? O caminho que irá ajudar a cada um de nós, individualmente a aproveitar o lado bom da coisa ruim: as oportunidades.
Infelizmente, devido ao temor do que pode acontecer com nosso país no futuro, muita gente acaba desperdiçando essas oportunidades. E se tem uma coisa que eu aprendi sobre oportunidades é que elas sempre voltam, porém, algumas vezes, demora tempo demais para isso acontecer. Portanto, a hora de aproveitar é agora.
Quer seja na renda fixa, no mercado imobiliário ou na bolsa de valores, temos excelentes opções de investimentos para você que está com seu dinheiro na poupança. O cardápio contempla todos os gostos, bolsos e perfis de investidor.
Com R$30 por mês já é possível ter acesso a opções interessantes como Fundos que investem em Títulos do Tesouro, por exemplo. Essa desculpa que é difícil, complicado ou que você não tem dinheiro, não cola mais! A quem você está querendo enganar?
A inflação que parecia controlada fugiu do controle e voltou a assombrar o brasileiro. Se você não pensa em investir para ganhar, invista pelo menos para não perder. Lembre-se, a inflação está maior do que o rendimento da poupança, ou seja, se seu dinheiro ficar dormindo no banco, quando você resolver acordar, a inflação corroeu todo o poder de compra dele.
Procure estudar sobre o mercado financeiro, imobiliário e outros mercados. Procure o auxílio de profissionais que possam te ajudar a investir os seus recursos de maneira correta. Faça o que estiver ao seu alcance e saia dessa zona de conforto chamada poupança.
Poupar é ótimo, mas tem pouca utilidade se o dinheiro poupado não estiver a serviço de algo maior. Que algo maior seria esse? Pode ser aquela viagem ao exterior; a troca do carro; o capital para abrir o próprio negócio; ter recursos suficientes para não precisar mais trabalhar... o que não faltam são sonhos a serem realizados.
Infelizmente, está faltando um pouco mais de esforço da nossa parte para que possamos alcançá-los!  Não é fácil, não é rápido, mas uma hora precisaremos fazer. Então, que seja agora! Afinal, nunca se sabe quando irá surgir outra oportunidade.
Fale com o autor: contato@samuelmagalhaes.com.br.

Samuel Magalhães é Coach especializado em Finanças e Negócios e fundador do Portal www.invistafacil.com.

Tecnologia do Blogger.